Março marçagão, tens dias internacionais até mais não!

Confesso, as trocas e baldrocas da vida puxam-me para aqui, puxam-me para ali e acabo por me distrair. Não consegui ainda sentar-me a escrever o que queria. Mas esperem, será que já perdi os dias internacionais todos de março e já não vale a pena escrever?

O que é que aconteceu? Março foi decretado o mês mais importante e é tudo dia de alguma coisa? É dia da mulher, é dia do pai, é dia da primavera, é dia da poesia, é dia da água, é dia da felicidade, é dia de tudo! Isto assim não dá para acompanhar!

De repente, as minhas redes sociais passaram a ter um tema: logo de manhã sou inundada de publicações sobre o dia disto, o dia daquilo, e pronto. A capacidade de atenção a esse dia/causa/tema acaba à meia-noite. Enquanto ainda estava a meditar num poema bonito, surgiu-me logo o aviso do dia XPTO também muito interessante e merecedor de reflexão, e já não me lembro que dia internacional foi ontem.

Ora então, para ser fiel aos dias todos, tinha de deixar um beijinho a todas as mulheres que me inspiraram, um beijinho especial ao meu papá, um poema bonito de ode à primavera (assim despachava dois de uma vez só) e colocava uma imagem da água; de seguida, uma imagem de um estudante (porque ainda vêm mais dias internacionais por aí), mais umas gotinhas de sangue em honra ao dia do dador de sangue, e uma árvore; e depois, talvez uma série de palavras às quais já nem presto atenção, em honra de um dia internacional de não sei o quê: o nome é tão comprido que quase não cabe numa linha!

Posto isto, estou cansada. Já não sei sobre o que ia escrever e até tenho medo de acordar amanhã. Posso ter de celebrar mais um dia super importante e parece-me que já não me restam pensamentos profundos a dedicar. 😯

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *