Diário de um Sonho IX

Bem, perdi aqui um pouco o embalo, mas voltei à carga. Estivemos em Nova Orleães, no estado de Luisiana, entre 27 de setembro e 3 de outubro de 2019. Vou ter de entretanto tentar voltar a equilibrar as datas, mas o trabalho e as muitíssimas fotografias desta cidade tornaram o processo mais difícil! Mas vá, só por esta árvore majestosa, já valeu a pena a espera, não?

Estado de Luisiana – 3 de outubro

“Agora há 3 dias em Nova Orleães, ainda me é difícil caracterizar a cidade. É certamente diferente de qualquer outro sítio que já tenhamos visitado. A temperatura e a humidade são quase sufocantes, mas a arquitetura e as árvores frondosas, enormes, estes carvalhos centenares, formam uma cidade distinta. O streetcar tradicional, ou elétrico, é uma fofura em toda a sua vagarosidade e o Garden District com as suas mansões é simplesmente lindo!

A experiência de visitar Bourbon Street é obrigatória, com todo o seu excesso, história, imundice em algumas partes e sempre algo em comum: música excelente e a ser tocada ao vivo em cada canto! É quase psicadélico, mas ao som de jazz! A ida ao pequeno bar “The Spotted Cat Music Club” foi uma experiência de filme. Basta entrar para ouvir a banda a tocar, num sítio minúsculo, onde podemos respirar o espírito do jazz. Em duas horas e pouco assistimos ao espetáculo de uma banda liderada por alguém que seria certamente conhecido localmente. Jovens músicos chegavam e ele prontamente os punha a tocar, a espontaneidade foi tal que nos fazia ansiar chegar mais alguém. Perto do final fomos ainda brindados com dançarinos que tomaram conta do pouco espaço que restava e nos presentearam com danças a pares de nível profissional. Sabem como é, coisas corriqueiras de uma típica sexta-feira à noite em Nova Orleães!

Hoje o dia foi passado nas plantações. Um percurso pela história que fez muito do que este país é hoje, incluindo o mosquito da febre amarela. É muito educativo este percurso pela River Road e algo que estava na minha lista há vários anos! Fizemos a tour completa da plantação Destrehan (local de filmagens de 12 Anos de Escravo), estabelecida em 1787 e foi uma ótima oportunidade de aprendizagem, com apresentação da história da família e respeito pela história da escravatura que ali se viveu. Em termos de dedicação a este tema, a visita mais completa será a da plantação Whitney ou Laura, que apenas visitámos por fora. Passámos por várias e é impossível não mencionar a beleza da arquitetura de várias, bem como a passagem pela ponte Sunshine Bridge incrivelmente inclinada sobre o rio Mississippi.

Contas feitas, acabei por perceber que marquei um dia a mais em NOLA, que podia ter usado em Dallas. Mas se assim não tivesse sido, nunca teríamos tido bilhetes grátis para o último barco a vapor em Nova Orleães, o Natchez, com direito a música e jantar a bordo. Um dos dias tranquilos levou-nos a passar por um vendedor representante do Club Wyndham e no dia seguinte estávamos às nove da manhã a ver uma apresentação de um time-sharing. Ficou a experiência e os bilhetes no papo!”

« 1 de 2 »

2 Replies to “Diário de um Sonho IX

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.