Diário de um Sonho V

A partida de Washington significou finalmente começar a viagem de carro. Fiz questão de usar os transportes pelo menos duas vezes, autocarro e comboio. Mas aqui começou a verdadeira aventura, já com o carro alugado e sozinhos pela estrada fora. Charlottesville foi uma das minhas cidades favoritas e a coincidência de no segundo dia encontrar uma guia que tinha passado a lua de mel em Portugal foi um delícia!

Charllottesville – 18 de setembro de 2019

“Charlottesville, uma cidade histórica, berço do terceiro presidente dos EUA, Thomas Jefferson.

Chegámos numa noite chuvosa, após suportar o trânsito intenso da saída de Washington numa sexta-feira à tarde. Confesso que o local tranquilo da casa da Alexia me deixou receosa. Mas assim que ela nos recebeu à porta, ficámos maravilhados! A casa dela transmite paz, cuidado, amor pela mobília antiga, herdada dos pais, cheirosa e…simplesmente um lar!

Temos o 3º andar só para nós, com uma sala de estar, mesa e cadeiras, sofás e um WC de hotel! Pudemos logo cozinhar algo leve e no dia seguinte nem podíamos acreditar: a mesa estava posta à nossa espera, com pão, fruta, café fresco, sumos e queijo fresco, tudo ao som de uma música relaxante. Foi um sonho!

À tarde pudemos ver a University of Virginia em todo o seu esplendor, com o ambiente de noite de jogo, ver a Rotunda e os dormitórios. É toda uma experiência cultural americana.

O Downtown Mall não desilude, uma rua no centro com lojas fantásticas, livrarias de morrer e artistas de rua para todos os gostos. O jantar no The Alley Light valeu cada cêntimo. Em ambiente de taberna clandestina, a entrada fica literalmente num beco estranho e recôndito. Lá fomos bater à porta para a marcação e conseguimos mesa para mais à noite. O meu prato de caranguejo em sopa de melancia foi das coisas mais incríveis e criativas que alguma vez já provei. Foi um festim de sabores e o ambiente de bar restaurante é super jovem e agradável, não mudava um segundo.

Hoje o dia foi passado em Monticello, o sonho de vida de Thomas Jefferson, e foi muito emotivo – passei muito tempo a idealizar este momento e o local e o tempo, e as árvores e toda a envolvência… poder viver o meu sonho, 300 anos depois de ele concluir o seu, com o amor da minha vida ao meu lado, que acreditou em mim. Tudo em mim vibra e ecoa gratidão!

A passagem pelo pomar foi o final de um domingo idílico!”

« 1 de 2 »

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.